Stages 1, 2 e 3 – As diferenças entre eles

Stages 1, 2 e 3 – As diferenças entre eles

Já comentamos sobre o remap da ECU aqui no blog da Made For Street, portanto aqui vamos explicar os Stages. Stages são nomes que as empresas que fazem a reprogramação utilizam para determinar os níveis de customização dos mapas.

Eles variam de empresa a empresa, porém, normalmente existem os seguintes Stages:

Stage 1

O Stage 1 é o mais básico, normalmente procurado para aqueles que não querem tirar a originalidade do carro. Portanto, ela pode ser instalada isoladamente, não se fazendo necessária outras grandes modificações no carro. Este stage consegue extrair mais potência do motor original, não colocando-o em risco.

Também pode trazer outros benefícios, como destravar os limitadores de torque e de velocidade.

Stage 2

O Stage 2 seria o nível intermediário dos Stages, que traz além de um ganho maior de potência e o destravamento dos limitadores, requer alguns itens adicionais. Como por exemplo, alguma modificação no sistema de captação de ar, downpipe, velas, blow-off, entre outros.

Normalmente procurado por aqueles que já possuem algumas dessas alterações instaladas, porém não obtiveram o resultado esperado. Evoluindo exponencialmente o ganho de potência.

Stage 3

Já o Stage 3, que corresponde ao nível mais alto de customização, possui além das modificações do Stage 3, algumas outras mais pesadas. Por exemplo, turbinas, freios, polias, combustível de corrida, entre outras modificações.

Este stage é recomendado apenas para uso em pistas, pois o uso demasiado do motor neste remap provocará um desgaste prematuro do motor. Tornando-o pouco confiável, que exige revisões e reparos regulares.

Por fim, este último é definitivamente o mais agressivo, além de trazer todas as modificações necessárias no seu carro, é o que provavelmente entregará maior ganho de potência.

Se você deseja saber mais detalhes sobre a nossa reprogramação de ECU ou sobre os resultados que conseguimos no seu veículo, entre em contato conosco, será um prazer recebê-lo e esclarecer todas as suas dúvidas.

Venha nos conhecer!

madeforstreet-turbo

Válvulas Wastegate e Blow-Off – Como funcionam?

Todos os amantes de carros turbinados devem conhecer o funcionamento dos turbos. Elas basicamente melhoram o desempenho dos carros, melhorando a eficiência dos motores. No entanto, elas funcionam em conjunto com válvulas, sendo elas: a Wastegate e a de prioridade (Blow-off).

Elas extraem a potência dos gases do escape, que acabariam sendo descartados. Estes gases são responsáveis por rotacionar o eixo da turbina, como esperado, eles saem em temperaturas muito altas do motor.

Isso faz com que a turbina possua a parte quente e a parte fria.

A parte quente, se resume a entrada deste ar do escape, rotacionando o eixo, no entanto, no lado frio, há um rotor, diretamente ligado a este eixo. Que rotaciona na direção oposta, comprimindo e resfriando este ar. Este nova mistura já resfriada e comprimida, é enviada a admissão do motor, ocasionando uma eficiência melhor na combustão.

A válvula Wastegate ( ou válvula de alívio)

Com as altas temperaturas, temos altas pressões nas turbinas. Com isso, torna-se necessário, um meio de manter a pressão correta.

Aí entra a wastegate, ou válvula de alívio. Seu funcionamento é simples: quando a pressão atinge o máximo regulado pelo sistema, a válvula se abre e permite que parte dos gases sejam desviados direto para o escapamento (não passando na turbina).

Ela pode ser interna ou externa, sendo muito importante para que o turbo não “estoure”.

A válvula de prioridade ( ou válvula Blow-Off)

A válvula de prioridade é instalada no coletor de admissão ou nas mangueiras de admissão do turbo. É importante entender o que acontece quando o motorista tira o pé do acelerador em um carro turbo: a pressão do ar dentro do sistema aumenta, afinal a turbina ainda está girando nesta situação.

Quando a válvula de prioridade detecta esse aumento de pressão, ela se abre, liberando parte desse ar escape na atmosfera. Sabe o famoso espirro que você escuta por ai? Pois é, ele existe graças à válvula de prioridade.

Esta é uma breve explicação sobre as válvulas que trabalham com o turbo, caso tenha mais dúvidas, assista ao vídeo do Canal da Peça em parceria com nossa oficina, clicando aqui.

Deixe suas dúvidas nos comentários!

E claro, venha nos conhecer!

reprogamacao_ecu

Entenda a reprogramação da ECU do seu veículo!

Aqui na Made For Street o nosso compromisso é o comprometimento, porém, nos dedicamos em informar ao nossos clientes sobre os nossos serviços, isso inclui a reprogramação da ECU!

Afinal, o que é uma ECU?

A ECU (Eletronic Control Unit) é um computador que recebe dados do veículo por sensores. Por exemplo, todos os carros atualmente possuem a injeção eletrônica, que por sua vez é controlada pelo computador, a ECU.

Ela é programada para receber os sinais dos sensores, lê-los, analisar, e por fim decidir quais os parâmetros mais adequados para o seu veículo.

Por exemplo, a quantidade de combustível que será injetada, o momento de ignição, pressão do trabalho da turbina e os limitadores de torque. Estes são os principais parâmetros de funcionamento do motor que são calibrados pelo fabricante com base no desenvolvimento do carro, e por sua vez, estão gravados na memória da ECU.

Agora, a reprogramação da ECU

Bom, agora que temos ideia do funcionamento da ECU, podemos pensar sobre a reprogramação da mesma.

Atualmente, esta reprogramação se tornou um serviço requisitado para se obter um ganho de desempenho do veículo por vários motivos. Dentre eles, a execução relativamente rápida, baixo risco de quebra de motor, entre outros.

Para entendê-la, vamos do início: Antigamente os veículos não possuíam tantos componentes eletrônicos como os de atualmente. O carburador era o responsável por alimentar o motor com a mistura de ar e combustível. Por outro lado, o distribuidor era o responsável por definir o momento correto da ignição em cada cilindro.

Se quisesse um aumento de performance, ela seria seguida de ajustes detalhados no carburador e no distribuidor. Tudo isso para adequar a alimentação do combustível e a ignição ás novas condições impostas ao motor.

Com a criação da injeção eletrônica, veio a ECU, um “cérebro” para fazer o controle destes parâmetros. Sendo assim, possível aumentar a entrega de potência e torque apenas modificando ela.

Resultado da Reprogramação

Temos diferentes tipos de remap, onde preparamos os carros para a rua ou pista. Os diferentes tipos são chamados de Stages, com início no 1, uma modificação mais amena, para carros de rua. Indo até o Stage 3, onde buscamos um ganho significativo na potência e torque, mirando o uso em uma pista.

Trata-se de um processo detalhado e extenso, pois todas as modificações devem ser testadas á exaustão, além de muito critério, garantindo que o aumento do desempenho será linear e não haverá riscos de quebra de componentes originais.

Se você deseja saber mais detalhes sobre a nossa reprogramação de ECU ou sobre os resultados que conseguimos no seu veículo, entre em contato conosco, será um prazer recebê-lo e esclarecer todas as suas dúvidas.

WhatsApp chat